Skip to main content

Flaminga Apresenta: 2Rios Lingerie

Screen Shot 2017-09-14 at 20.01.54

Descobrir sua personalidade e criar seu estilo começa desde a lingerie!
E você já parou pra pensar que experimentar modelagens, tecidos e cores pode ser um ótimo aliado para nos amarmos sempre mais?
Ou seja, uma lingerie faz toda diferença!

Há mais de 20 anos no mercado, a 2Rios Lingerie investe na inovação, qualidade e tecnologia, buscando desenvolver peças delicadas para diversos estilos.
Para apresentar um pouco mais esta nova coleção e este super lançamento na Flaminga, tivemos um bate-papo super bacana com a Ana Cristina da 2Rios, ela nos contou as novidades, tendências, qual o processo e o cuidado para a elaboração das modelagens, legal, né?
Quer saber mais? Então siga o texto abaixo para conferir as novidades e ficar por dentro do que está rolando na Flaminga!

2rios

Ana, conta pra gente qual o diferencial e os cuidados para as modelagens de modelos Plus Size:
As modelagens e os modelos são especialmente desenhados e pensados no corpo Plus Size, não é apenas uma extensão de grade dos produtos de P a G. Além de teste de uso de tudo que fazemos, sempre tomamos o cuidado de conversar com nossas principais clientes sobre as necessidades delas.
– Que legal! E depois dos testes de modelagem, como você Body-Com-Tule-Power-Plus-Size_4direciona a lingerie para cada biotipo de corpo? Há um cuidado sobre os diferentes tipos de corpos para a criação das modelagens?
Tem sim! Como comentei, nós conversamos sempre com o público, em nossa equipe temos algumas meninas Plus onde trocamos muitas figurinhas e também pesquisamos muito sobre o assunto.
Hoje diria que pesquisamos mais sobre Plus Size e as necessidades delas do que outros públicos.

E trocar figurinhas com as clientes ajuda na sua inspiração? Destaca alguma cor da modae tendências?
Nossa inspiração são mulheres reais, na sua rotina real.
Conversar com nossas clientes e amigas nos faz priorizar modelagens com conforto, que é o nosso principal pilar, então SEMPRE que trazemos as tendências, interpretamos elas pensando no conforto e no dia a dia das mulheres reais!

Super mais que demais, sim!
A nova coleção 2Rios é feita para todos os tipos de mulheres, pensada nas cores, modelagens e principais tendências do mundo da moda, interpretados pra Lingerie!
Agora que você está inteirada neste universo roupa íntima, que tal experimentar sua nova lingerie favorita?
Conheça mais e escolha a sua acessando nosso site clicando aqui > Eu ♡ Lingerie 

Leia Mais

Novidade na Flaminga: Zuya!

Zuya vem aí, olê, olê, olá, vai de Zuya.

zuyaBLOG

Mores, quem ai adora uma novidade?
No post de hoje vamos conhecer um pouquinho mais a marca que está chegando com tudo na moda Plus Size e aqui na Flaminga!
Bom, chega de lálálá e vamos ao que importa, com vocês, Zuya!

Tudo começou com a Bia Celaya, estilista de formação e especialista na área de Negócios da Moda, em 2012 foi para Barcelona fazer um mestrado quando tuudo começou…


Como surgiu a Zuya?
Bia Celaya: no final do mestrado temos que fazer uma tese, e eu como consumidora insatisfeita de Moda Plus Size que era na época decidi fazer a minha tese voltada para o mercado brasileiro. Inicialmente o projeto inicial era lançar um Marketplace especializado em Moda Plus Size por aqui, mas depois de voltar para o Brasil e passar meses pesquisando o mercado e desenvolvendo esse projeto percebi que a maior parte do nosso mercado não estava preparado para esse tipo de operação.
A Zuya é quase um ser mutante, pois fomos nos adaptando desde o começo e transformando o negócio desde a sua criação em 2014, até hoje.
A grande maioria das marcas de atacado destinadas a moda jovem na época só vestiam até a numeração 52, ou no máximo 54, e dentro de uma mercado que já é excludente eu não achava certo com as clientes que vestiam acima dessa numeração não poderem usar o mesmo que todas as outras clientes.
A partir daí lançamos a primeira coleção de Verão em Setembro do ano passado, no Pop Plus e em nossa loja. Graças ao sucesso que tivemos com a primeira coleção pudemos agora na coleção de Inverno expandir para o atacado, criando coleções com estilo e personalidade a preços acessíveis!

Aliás, o que significa ZUYA?
Bia Celaya:
minha família é do país basco, uma província da Espanha, e todos os negócios da minha família tem nomes bascos. Quis um nome curto e que pudesse ser global. Zuya é o nome de uma cidade do país basco! (gente, que legal!)
Inspiração das coleções
Bia Celaya: estamos sempre buscando e acompanhando as tendências de moda, tentamos traduzir isso em todas as nossas coleções! Acredito que nós gordas podemos usar de tudo, desde que seja fiel ao nosso estilo e que valorize o seu biotipo.
A atual coleção da Zuya segue as principais tendências do Inverno, tem veludo, cores malva, vinho e a jaqueta bomber!
Apesar de ser uma coleção pequena, fazemos modelagens que favoreçam todos os corpos, criamos opções de cores e comprimentos que agradem tanto as mais jovens quanto as mulheres mais velhas que tenham um estilo mais moderno.
Quais modelos são os mais pedidos?
Bia Celaya: tentamos atender ao máximo todos os pedidos das clientes, mas claro sem fugir do DNA da Zuya. Inclusive temos alguns modelos, padronagem e modelagens que são considerados básicos pelas nossas clientes, e por mais que mudemos os tecidos e alguns detalhes, sempre estarão presentes em todas as coleções da Zuya, como é o caso dos croppeds, listrados e modelagens godê.
Queremos explorar mais ainda o universo teen, e já na próxima coleção de verão teremos mais peças destinadas a esse público (alô moçada, fiquem ligadas!).
Mensagem final Zuya para as mulheres
Bia Celaya: desejo que todas as mulheres Plus Size se apropriem dos seus corpos, que elas sejam mais exigentes com o que vestem e mais verdadeiras com o seu estilo. Desejo que busquem modelos e marcas que as representem de verdade!
A Zuya não tem a pretensão de atender a toodas as mulheres Plus Size, mas que queremos (e muito!) que aquelas que se identificam e usam Zuya se sintam lindas, confiantes e felizes com o que são e o que vestem!

Gente, a Bia é uma fofita e criou uma coleção INCRIVELAND que vocês podem conferir aqui na Flaminga!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Beijo, beijo e vem!

Leia Mais

Creare Mix: Seu novo jeito de combinar

Chegou a hora de novas combinações e possibilidades ♡
Chegou: Creare Mix!

Conversamos com a Creare para entender um pouquinho melhor a nova tendência da marca que foi criada exclusivamente para nada mais nada menos queee… Flaminga! É gente, a gente mesma he he he.

Bom amores, pra quem não sabe a Creare já está no mercado há 30 anos, criando e lançando diversas tendências com estilo e qualidade.
Papo vai e papo vem, percebemos que muita gente buscava uma proposta jovem e com mais bossa, sabe?
Uma proposta para um público que junto da moda quer uma malha super confortável e que combine entre sí, um público que quer desmistificar o uso de estampas grandes e chamativas pro público Plus Size, afinal: estampa grande? Pode sim! 

Pensando nisso a Creare desenvolveu uma coleção “auto-combinante” que pudesse “produzir” vários resultados a partir de poucas peças, ou seja, tudo se combina, casa, orna, faz aquele spring love.

O principal conceito da Creare Mix é criar novas combinações. Mixar valores, ideias, desenhos, cores e padrões.
É incluir pessoas, tipos, corpos e cores, conviver com igualdades e diferenças. 

img_2926

Vide a imagem dá pra perceber que estamos a todo vapor na produção!
Creare Mix chegará na Flaminga muito em breve, e como o que é bom pode melhorar, vai ter lançamento no Pop Plus! Ou seja, você poderá conhecer e tocar essa nova proposta no maior evento de Moda Plus Size de São Paulo!
O evento acontece nos dias 03 e 04 de Dezembro as 12h até as 21h, lá no Club Homs que fica na Avenida Paulista, 735 – É pertinho do metrô Brigadeiro (Linha Verde). 

Bom, agora é segurar a ansiedade (respira fundo) e aguardar mais este lançamento. Ah, é bom torcer também para que o estoque dure até o Pop Plus, né nom? ho ho ho

Este slideshow necessita de JavaScript.

 


Confirme presença no evento e venha conosco!
Vem mixar tudo que é bom e ver como a vida pode ficar ainda mais linda ♡

 

Leia Mais

A・ S・O・B・I é na Flaminga!

E com vocês:  A・ S・O・B・I na Flaminga!

asobi

Para celebrar esta parceria preparamos uma matéria super legal que fizemos com Asobi, a estilista da marca.
Vem com a gente conhecer este novo encanto do oriente que chegou na Flaminga

 



Com um estilo direcionado a valorizar a auto estima das mulheres, a  A・ S・O・B・I Mode Japan nasceu para ser usada ocasionalmente, no trabalho ou naquela ocasião especial.

Mas esta história começou láá trás, nos anos 50.
A mãe da Asobi, Kei Yamashitaestudava na tradicional escola de kimonos (incrível) Otsuka Sueko Kimono Gakui, ela até nos mandou algumas fotos desta escola super legal:

kei-yamashita
Kei Yamashita e a Escola de Kimono.

Vanguardista que era, criava seus modelos com tecidos ocidentais, inclusive com estampas de onça e obi preto, ah, obi é este cinto ou faixa de tecido usados com kimono.

♡♡♡♡
♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Uma referência incrível sobre conceitos de moda, tendências e a dedicação em

criar algo com muita atenção e cuidados.

O tempo passou, Asobi cresceu e se dedicou a estudar moda na  Tokyo Mode Gakuen no Japão e na ESDI (École Supérieure de Design Industriel) lá em Creapole,Paris, legal né? Passou mais um pouquinho do tempo e a vontade de criar uma marca com inspiração cosmopolita foi surgindo, até que enquanto ainda morava em Tokyo, Asobi  junto com Edison foram polindo a ideia que foi crescendo e crescendo até eles escolherem fazer acontecer no Brasil!
E assim surgiu A・ S・O・B・I Mode Japan, uma marca cuidadosa e delicada, que dá vida aos detalhes e conceitos!

 

screen-shot-2016-10-20-at-17-55-52
Vestidos A・ S・O・B・I Mode Japan

 

 


Conheça mais a marca em A・ S・O・B・I Mode Japan e confira seus produtos na Flaminga!

Leia Mais

Flaminga Entrevista: Babu Carreira

Babu? Vem que a Flaminga te sintoniza!

Babu é uma gata garota, comunicadora e atriz que está com vários projetos incríveis, um deles são os vídeos que ela publica às Terças e Quintas em seu Canal no Youtube, Bolsa Amarela da Babu, com temas sobre Gordofobia e Emponderamento, cheia de humor e responsabilidade! Além de atriz ela também é responsável pelo Big Bazar, tem uma loja online, o Big Brechó e é  Apresentadora do Papo Calcinha no Canal Multishow! E você acha que acabou? Nops! Depois de tuudo isso ela ainda está dando palestras <3 Sim! Ela está realizando palestras gratuitas em escolas para adolescentes, abordando a Gordofobia, dialogando tanto com mulheres quanto com homens, estimulando o poder pessoal que cada um deve crer!
Nós aqui na Flaminga achamos a atitude maravilhosa, necessária e super carinhosa!
Pensando nisso fizemos esta entrevista pra lá de informativa e legal. Confira agora e conheça mais sobre este lindo projeto da Babu! 


Como surgiu a ideia de montar uma palestra falando sobre gordofobia e empoderamento?

Uma antiga professora minha de português me chamou para conversar com os estudantes do colégio onde ela trabalha sobre a minha experiência e meu trabalho como pessoa pública que fala sobre ser gorda. E foi o start que eu precisava para montar uma palestra sobre o tema, porque eu acho que é sobre Gordofobia e Empoderamento a minha experiência de vida mais forte. As pessoas sempre curtiram conversar sobre esse tema comigo, sendo gordas ou não. Então me senti preparada e empolgada para compartilhar meus pensamentos sobre o tema.

 

Que tipo de mudanças você acredita que pode promover com esse trabalho?

Acredito que vendo uma pessoa falando abertamente sobre o tema, explicando onde e porque o preconceito com gordos é doloroso, sem vitimização, de modo direto e explicativo, o jovem entenda que é um ponto a se pensar. Espero mudar um pouco o esteriótipo de pessoa gorda na concepção geral, ou pelo menos ampliar o olhar desse adolescente em relação a isso. 

Você comenta que não gosta muito do termo gordofobia. Pode explicar pra gente?

Eu acho que esse termo associa o preconceito contra gordos à uma doença. E ninguém quer ter doença, ninguém quer assumir que é gordofóbico porque parece algo de outro mundo! A palavra assusta muito e distancia. As pessoas precisam entender que o difícil e raro é NÃO ser gordofóbico, porque esse é um preconceito muito naturalizado e visto até como algo bom. Algo que evita que você justamente fique gordo, porque para a maioria das pessoas ser gordo é claramente péssimo.

Pra qual  público você sugere essa palestra? Nas escolas, qual idade focou?

Eu foco mais em adolescentes, entre 14 e 17 anos, pois acho que é nessa idade que se intensificam as questões com o corpo, tanto para meninos quanto para meninas. É importante nessa idade ter contato com pessoas que são diferente do que se espera de um adulto, e ver que existem várias formas de ser “gente grande” e ser feliz.

Como tem sido a recepção ?

Tem sido maravilhosa! Tanto professores quanto alunos ficam super felizes com a discussão. Muitas meninas me contam sobre as pressões para emagrecer, ou permanecerem magras, e os meninos contam como enxergam uma pessoa gorda, falamos sobre bullying. Os adultos acham o máximo porque a maioria inclusive ainda não tinha nem pensado em como isso afeta a relação que eles tem com os próprios corpos, e no fim todo mundo parece sair se amando mais um pouquinho. :)

Fale mais sobre o projeto ou qualquer outro que tenha em mente com objetivo de desmistificar o tema.

Por enquanto as palestras são a maneira que eu escolhi para repassar de uma maneira positiva tudo que eu passei relacionado a gordofobia. É um projeto despretensioso, com a única ambição de passar adiante a minha experiência, se isso ajudar, e parece que ajuda, ótimo! Tenho um canal no Youtube o Bolsa Amarela da Babu, onde discuto várias coisas, inclusive gordofobia, mas não é focado nisso. Até porque muito do que eu acredito é baseado no fato de que ser gorda não é minha principal característica, então não precisa ser o foco do meu trabalho como atriz e comunicadora. Pelo simples fato de eu me manter vivendo a minha vida e superando minhas próprias barreiras, já é uma parte da luta.

 


Sensacional, né nom? Repassem isso pra amiga, pra tia, pra professora, pra prima, no colégio, na mesa de jantar, pra todo mundo! Acompanhem a Babu pelas redes sociais e fiquem por dentro de todas as novidades espoletas!
E vocês já viram as Escolhas da Babu na Flaminga? Clique aqui e confira 😉

Leia Mais

É preciso Normalizar!

Normalização? Body Scanner? Estudo antropométrico? Oi?

Flaminguetes!
Vocês já ouviram falar sobre a Normalização de Medidas Plus Size?
Nós como uma Loja Online Plus Size entendemos bem a frustração das clientes na hora de comprar, é 48 que parece 54, 50 que parece 46, é G1, EXG, uma confusão de tamanhos. E se tem algo que desanima na hora de comprar é essa incerteza de tamanhos, não é mesmo?
É então que você pensa “poxa, por que é tão difícil o 50 ser 50?” ou “será que eles poderiam criar sem oscilar tanto nas medidas?”.
Pensando nisso a blogueira Glenda Cardoso do  Curvilíneos e a consultora de moda e modelo Andrea Boschim amadureceram o projeto de Normalização dos tamanhos Plus Size realizados pela ABNT, que irá medir voluntárias através do Body Scanner, facilitando a produção das marcas e a compra dos consumidores.
Na entrevista abaixo você vai entender melhor o que é Normalização, Body Scanner e como ser  voluntária deste projeto incrível!

andrea_glenda
Andrea Boschim e Glenda Cardoso

Como surgiu o projeto de vocês? E por que o estudo é importante?

Glenda: O projeto surgiu com a concepção do blog no final de 2013, quando comecei as pesquisas no mercado plus size para lançar um App voltado a esse público. A primeira ação foi uma Audiência Pública com as Deputadas Mara Gabrilli e Celia Leão que tratavam dos direitos das pessoas obesas e de uma lei para padronização de tamanhos.
No final de 2014 entrei em contato com a ABNT para obter informações do projeto e saber se ele contemplava medidas acima do 44. Foi quando a Adelina, superintendente da ABNT/CB­17, me convidou a participar da comissão de estudos da normalização que não tinha nenhum representante plus size.
À partir daí convidei alguns players do nicho para uma reunião no primeiro trimestre de 2015, que trataria da inclusão de medidas plus size. Foi nessa oportunidade que solicitamos que o estudo dos tamanhos fosse refeito, já que durante as medições pelo Brasil através do Body Scanner, o universo medido contemplava os tamanhos grandes. E foi também quando a Andrea se juntou a nós nessa luta.

Andrea: Quando a Glenda me chamou para a reunião esperava encontrar muitas empresas representadas e participativas ao processo. Mas não foi o que aconteceu, sendo esta ausência que me fez querer abraçar esta causa. Temos sido porta voz deste estudo para as marcas, blogueiras, amigas, porque as medidas darão um parâmetro mais real das medidas e esperamos que diminua a discrepância entre uma marca e outra. Tabelas por si só não dizem muita coisa… As marcas não precisam ter receio de ceder suas medidas pois elas são apenas o início do processo de criação de uma marca. A criatividade da equipe de estilismo, modelistas, a escolha dos tecidos, uma comunicação com o consumidor final bem feita e tantos outros fatores é que tornam cada marca única.

Quais as necessidades desta padronização para o mercado Plus Size?

Glenda: O termo correto não é padronização mas normalização pois não será obrigatória. Nenhuma confecção será obrigada a cumprir a norma, porém, acreditamos que quando ações tão importantes estão sendo estudadas, debatidas e validadas, a adesão é voluntária. E as marcas aderirão porque será um importante parâmetro. É importante para facilitar a vida da consumidora, do e-­commerce e lojistas, enfim, de toda cadeia produtiva de moda.

Qual o processo para realizar a normalização? Qual o sistema utilizado?

Glenda: O primeiro passo foi levantar as tabelas de várias confecções e buscar um consenso. Depois, a ABNT e ABIT convidaram o SENAI CETIQT para compartilhar informações de um estudo que eles fizeram medindo mulheres através do body scanner, mas que não haviam coletado medidas suficientes de mulheres que vestem acima do manequim 46. Apoiados no primeiro estudo e nas medidas obtidas foi criada uma estimativa de tamanhos com base nos diversos biotipos da mulher brasileira, respeitando as peculiaridades de cada região.
Para o plus size estamos organizando um evento onde as mulheres que quiserem contribuir com o estudo serão medidas através do body scanner e, então, o equipamento existente será testado.
Esperamos contar com a colaboração das marcas também, elas podem disponibilizar suas tabelas de medidas que serão usadas apenas pelas entidades envolvidas na normalização.

Vocês acreditam que seja mais difícil a normalização dos tamanhos para o Mercado Plus Size?

Acreditamos que sim. São muitos os fatores que podem dificultar o processo. Primeiramente, embora a ABIT tenha comunicado as empresas de roupas femininas de todos os tamanhos, praticamente não houve adesão das empresas plus size. Podemos conferir isso nas reuniões que participamos e na falta de tabelas que contemplassem os manequins plus size. Além disso o equipamento utilizado pelo SENAI CETIQT pode não ser tão preciso num corpo mais curvilíneo, e por isso, precisamos do evento direcionado à este nicho para que possamos levantar as imprecisões desta tecnologia e certificar a necessidade de aquisição de um novo equipamento.

Além disso, o processo de medição exige que as voluntárias estejam vestidas com lingerie adequada, sem compressão, e fiquem expostas, ainda que por pouco tempo, numa cabine, para ter suas medidas mapeadas. É sabido que muitas mulheres não aceitam seu corpo e se sentem constrangidas, por isso é muito importante uma abordagem muito didática para conseguirmos um numero expressivo de medições.
Porém, a ABNT está sendo muito cobrada em relação à norma de vestibilidade feminina, desta forma, é possível que as medições plus size entrem num segundo momento, ou até como um adendo a norma.

Com tantos biotipos de corpos e com tantas modelagens diferentes. Como fica essa questão de normalização de tamanhos?

A norma já está praticamente finalizada em vias de ser publicada no site da ABNT para consulta popular, ela contempla mais de um biótipo, de acordo com o material coletado, e propõe uma tabela diferente para cada um deles. Já o estudo antropométrico está em fase final de catalogação dos dados e ainda não temos acesso a estes resultados oficiais, mas cremos que não será diferente com o plus size.

E por fim, vocês acreditam que vamos conseguir a normalização total dos tamanhos na industria brasileira?

Andrea: O projeto é muito interessante e como a Glenda já mencionou será de grande ajuda para todas as esferas do mercado plus size, desde a confecção, até a consumidora final. Por esta razão estamos tão empenhadas em realizar este evento em SP. Esperamos que ele seja o fio condutor de uma mudança significativa no mercado plus size.

Glenda: Acredito que esse é um processo que vem sendo tratado há anos no mercado de moda convencional (até o tamanho 44), e tem obtido um avanço significativo. Para nosso nicho não será diferente. Com empenho, adesão e com a junção de forças de todos tenho certeza que conseguiremos uma normalização condizente com nossas formas.
Também acredito ser de extrema relevância todos os estudos acadêmicos voltados ao plus size. Quanto mais pessoas se especializarem, realizarem estudos, pesquisas e obtiverem novas perspectivas, mais ganhamos em conhecimento aplicado aos negócios.


Que projeto legal, né gente? Glenda e Andrea, vocês arrasaram <3

E Flaminguetes, vamos ajudá-las neste projeto incrível?
Acesse o site Curvilíneos e faça seu cadastro para ser uma colaboradora!

Leia Mais